ULTIMAS NOTÍCIAS

10º linchamento do ano termina com homem morto em favela de Fortaleza


Subiu para 10 o número de assassinatos por linchamento nas ruas de Fortaleza neste ano. Na tarde desta quinta-feira (21), um jovem que estaria praticando assaltos nas proximidades de uma lagoa, na zona Oeste da Capital, foi  perseguido pelos moradores da área, severamente espancado e apedrejado e, ainda, atingido a pauladas e tiros, morrendo no local. Foi o segundo caso somente nesta semana e no intervalo de apenas três dias.

O caso ocorreu nas margens da Lagoa do Urubu, no bairro Jardim Iracema, onde a vítima, um jovem ainda não identificado, foi assassinado por cerca de 20 pessoas. O suposto ladrão ainda tentou escapar da morte, correndo em direção à Lagoa do Urubu, no limite dos bairros Padre Andrade e Jardim Iracema, mas não conseguiu.

Já na tarde da última  segunda-feira (18), outro homem foi morto nas mesmas circunstâncias. Ele foi identificado como Maurício Oliveira Pereira, que tinha apenas 20 anos de idade. Acusado de praticar roubos contra os moradores, ele foi perseguido e linchado na Rua Nossa Senhora das Graças, no bairro Pirambu.

Outros oito assassinatos por meio de linchamento ocorreram, neste ano em Fortaleza nos bairros Dias Macedo, Pio XII, Vila Peri, Barra do Ceará, Elleri, José Wálter, Carlito Pamplona e Sapiranga.

Mais casos

Na noite do último dia 20 de junho, uma mulher foi perseguida e morta por populares no cruzamento das ruas Juvêncio Barroso e Odorico de Moraes, no Carlito Pamplona. Ela estaria na companhia de um motoqueiro. A dupla praticava assaltos, quando foi alcançada pelos moradores. O motoqueiro fugiu, deixando a parceira de crimes no meio da rua. Ela, então, acabou espancada até a morte. Para completar a crueldade, alguns populares filmaram as cenas do crime e postaram as imagens nas redes sociais.

No mesmo dia, outro assaltante também foi assassinado por meio de linchamento quando praticava roubos de celulares em pontos de ônibus no bairro Conjunto Prefeito José Walter.

Crueldade

Na maioria das vezes, as vítimas dos linchamentos são pessoas jovens, envolvidas em casos de assaltos ou de violência sexual (estupros) nas ruas e que acabam sendo “justiçadas” pela população. Trata-se de um crime de difícil esclarecimento e que, em muitas vezes, a vítima sequer é identificada, pois não porta documentos e acaba desfigurada tamanha a violência sofrida dos assassinos. Além dos espancamentos, por vezes, são arrastadas, baleadas, esfaqueadas e até atropeladas ou carbonizadas pela população revoltada e irada.

VEJA OS CASOS DE MORTES POR LINCHAMENTO NESTE ANO EM FORTALEZA:

1 (1º de janeiro) – Clayrton Oliveira de Sousa – Travessa João Fonseca (Dias Macedo)

2 (16 de março) – Vítima não identificada/masculino – R. Álvaro Bomilcar (Pio XII)

3 (18 de março) – Vítima não identificada/masculino – Av. Augusto dos Anjos (Vila Peri)

4 (21 de abril) – Vítima não identificada/masculino – R. Jerônimo de  Albuquerque (Barra do Ceará)

5 (12 de junho) – Helton Jonh de Sousa Oliveira  - R. Demóstenes de Carvalho (Elleri)

6 (20 de junho) – Alane Sousa de Oliveira – Rua Odorico de Morais (Carlito Pamplona)

7 (20 de junho) – Vítima não identificada/masculino – Rua 49 (Conjunto José Walter)

8 (20 de junho) – Thiago Oliveira da Silva – Rua Waldemar de Alcântara (Sapiranga)

9 (18 de julho) – Maurício Oliveira Pereira – R. Nossa Senhora das Graças (Pirambu)

10 (21 de julho) – Vítima não identificada/masculino – Jardim Iracema

Fonte:Fernando Ribeiro
Foto/WhatsApp

Postagem mais recente Postagem mais antiga