ULTIMAS NOTÍCIAS

Suspeito morre em tiroteio com a PM após 'Baile de Favela'


Um homem, que respondia a diversos crimes, morreu na madrugada desta segunda-feira (1º) em tiroteio com a Polícia Militar no bairro Pirambu, em Fortaleza. O confronto iniciou após a equipe militar encerrar o evento 'Baile de Favela', naquele bairro, que estaria promovendo poluição sonora e fazendo "apologia ao crime", segundo com comandante da Área Integrada de Segurança (AIS) 1, tenente-coronel Lourival Lima.

"Fomos acionados pela própria população, informando que havia essa festa funk, o 'Baile de Favela', juntando gente de toda parte, bandido de todo canto, com som alto, tráfico de drogas, prostituição infantil. Apologia ao crime, em resumo", relatou o oficial.

Conforme o comandante da Área, por volta das 22h de domingo (31), cinco viaturas do Ronda do Quarteirão e do Policiamento Ostensivo Geral (POG) e uma do Batalhão de Policiamento Rondas de Ações Ostensivas e Intensivas (BPRaio) foram ao local onde ocorria a festa. Uma caminhonete Mitsubishi L200 e um equipamento de som foram apreendidos.

Após a abordagem e o fim da festa, segundo o tenente-coronel, dois homens atiraram contra a equipe policial. "A dupla estava a pé, na Rua Rio Nilo, próximo à praia. Avistaram os policiais e atiraram. Houve revide. Um dos suspeitos foi baleado no local, um tiro no olho. Levado ao Instituto Doutor José Frota (IJF), não sobreviveu. Com ele foi apreendido um revólver calibre 38 com três munições deflagradas. Estava com mandado de prisão em aberto", relatou.

O homem foi identificado como Israel da Silva Lourenço, o "Papai Zoião", de 23 anos. Conforme a Polícia, ele respondia por homicídios, roubos, porte, posse e disparo ilegal de arma de fogo.

Novo tiroteio

Já na madrugada, por volta das 3h, um novo confronto entre Polícia e bandidos ocorreu no Pirambu. "Nas proximidades da Delegacia (7º DP), Vários tiros foram efetuados em represália à morte do suspeito. Chegaram mais viaturas no apoio. Uma equipe da Força Tática de Apoio (FTA) utilizou escudos balísticos. Os bandidos apontavam uma escopeta calibre 12. Não houve nenhum policial ferido, e os suspeitos conseguiram fugir", relatou.

Até a publicação desta matéria, além do homem morto, mais ninguém havia sido identificado ou preso por participação nos tiroteios.

Diario do Nordeste

Postagem mais recente Postagem mais antiga