ULTIMAS NOTÍCIAS

Copiloto relata últimos momentos antes da queda de avião da Chapecoense: "Ajudem-nos, ajudem-nos"


Um copiloto de um avião comercial que estava no espaço aéreo de Medellín, na Colômbia, fez um relato emocionado com o que aconteceu com a aeronave da Lamia que levava a equipe da Chapecoense e se acidentou na última terça-feira (29), deixando 71 mortos e seis pessoas feridas.

Em um áudio divulgado pela rádio colombiana Caracol, espalhado pelas redes sociais, o copiloto a angústia do colega da Lamia e informa que ele implorou pouco antes da tragédia: "Ajudem-nos, ajudem-nos".

— "Ajuda, vetores para proceder à pista, vetores para proceder à pista". No fundo se escuta um desespero e um “baixar trem” [de pouso]. “Ajudem-nos, ajudem-nos, vetores para chegar à pista”. Eles estavam a 9.000 pés. “Vetores para chegar na pista, vetores para chegar na pista”. Aí, parou de falar.

Leia mais notícias de Futebol

O tripulante seria Juán Sebastián Upegui, funcionário da Avianca. Antes do impacto, começa a torcer para que o avião da Chapecoense consiga chegar até a pista.

— Estávamos aguardando permissão para pousar, mas a torre de controle nos mandou esperar com 21 mil pés porque havia um avião que tinha declarado emergência. [...] Nos pediram para baixar a 19 mil pés e, quando estávamos com 19 mil pés, enquanto víamos o Viva Colombia aterrissando, o avião RJ-85 estava acima da gente. De repente, o piloto pediu: “Solicitamos prioridade para aterrissar, solicitados prioridade para proceder a pista, temos problema de combustível”. O comandante comentou comigo: “Ele tem problema de combustível e não vai declarar emergência"? Nesse momento, não declarou emergência.


Então, a controladora de voo nos avisa que naquele momento não é possível porque outro avião já havia declarado emergência e estava pousando. O piloto da Lamia repete: "Temos problemas de combustível".

A controladora avisa: "Avianca 956, vire à esquerda". Eles começaram a jogar o avião para baixo e aí declarou emergência, declarou que tinha falha e problema de combustível. “Mayday, mayday”. A controladora pede: “Informe o problema que vocês tem”.

O piloto da Lamia responde: “Não, agora temos falha elétrica, temos falha total elétrica”. A controladora: “Agora não o tenho em contato no radar”. O comandante do avião da Chapecoense entra em desespero: “Ajuda, vetores para proceder à pista, vetores para proceder à pista”.

— No fundo se escuta um desespero e um “baixar trem” [de pouso]. “Ajudem-nos, ajudem-nos, vetores para chegar à pista”. Eles estavam a 9.000 pés. “Vetores para chegar na pista, vetores para chegar na pista”. Aí, parou de falar.

A controladora ficou mal, nós do avião ficamos mal, começamos a chorar. A controladora chora muito pela frequência [de rádio]. A gente também do mesmo jeito chorando. Isso tudo foi muito pesado. Por uns dois minutos, ficaram pedindo ajuda: “Ajudem-nos, ajudem-nos, vetores, senhorita, vetores para a pista”.

O copiloto do avião comercial será ouvido pelas autoridades colombianas.

R7

Postagem mais recente Postagem mais antiga