ULTIMAS NOTÍCIAS

Polícia Civil prende membros das facções PCC e Família do Norte em Fortaleza


Uma operação realizada nesta semana em Fortaleza pela Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), em parceria com o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público do Ceará (MPCE), resultou na prisão de três membros das facções criminosas nacionais Primeiro Comando da Capital (PCC) e Família do Norte (FDN).

De acordo com a secretaria de segurança do Ceará, o primeiro criminoso a ser preso foi localizado no Bairro Granja Portugal. Max Miliano Machado da Silva, de 29 anos, era conhecido como “Gordo” e foi preso na última segunda-feira (23). Segundo a Polícia, ele seria um dos integrantes da facção criminosa FDN.

Gordo estava com mandado de prisão em aberto, oriundo da 2ª Vara da Justiça Federal do Estado do Amazonas. Max Miliano possui vários antecedentes criminais, entre eles, homicídio e tráfico de drogas, tendo sido preso em uma operação da Polícia Federal em 2015.

No momento de sua prisão estava portando documento falso tentando omitir sua verdadeira identidade. Com ele, foi apreendida a quantia de R$ 1,7 mil, uma carteira de identidade falsa em nome de Adriano Teixeira Sampaio. Max foi conduzido ao 12º Distrito Policial onde, além de ser cumprido o mandado de prisão, foi autuado em flagrante por uso de documento falso.

Já na última quarta-feira (25), os policiais da SSPDS capturaram os paulistas Lúcio Monteiro Cavalcante (36), vulgo “Pirata”, e Milena Paola Matias Maciel (33). Conforme as investigações, “Pirata” é um dos chefes do tráfico de drogas na zona sul da cidade de São José dos Campos/SP. Ele foi capturado em um flat, na Avenida Monsenhor Tabosa, no bairro Meireles.

O homem estava na companhia da mulher que também tinha mandando de prisão em aberto. Com o casal, foram apreendidos 25 cartões magnéticos, 17 folhas de cheque, documentos, celulares e a quantia de R$ 5,4 mil.

Em entrevista coletiva, o secretário da SSPDS, André Costa, afirmou que as capturas dependem de um trabalho de investigação policial, investigação criminal e de inteligência. “A junção destes trabalhos resultou nessas importantes prisões para o Sistema de Segurança Pública do Ceará”, afirmou André.

Fonte:Tribuna do Ceará

Postagem mais recente Postagem mais antiga