Header Ads

Header ADS

TV Varjota em Destaque - Ao vivo

Suspeito de matar jovem foi expulso da PM por receptaçã

Tiago Rodrigo Ferreira Nunes, de 33 anos, afirmou ter gritado para o jovem Lucas Gomes, 22, não levar o cone do empreendimento. Por não ser atendido, ele atirou


O titular da 5ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), João Carlos Machado, deve pedir, ao final do inquérito policial, a prisão preventiva do vigilante Tiago Rodrigo Ferreira Nunes, de 33 anos, suspeito de matar o universitário Lucas Gomes, 22. Tiago foi policial militar do Estado por cerca de sete anos, mas foi expulso da Corporação após ser preso em flagrante por receptação.

O caso ocorreu em dezembro de 2013. Tiago Rodrigo, que servia à 1ª Cia do 15º Batalhão da Polícia Militar, foi detido junto a outro PM, em um veículo roubado, que estava com as placas adulteradas.

A expulsão dos quadros da Polícia Militar do Ceará (PMCE) se deu logo no ano seguinte. Depois, o ex-PM foi autuado em outra prisão por porte e posse ilegal de arma de fogo. As informações foram repassadas pela Polícia Civil, em coletiva de imprensa realizada ontem.

Quatro testemunhas já foram ouvidas no inquérito, inclusive o casal de amigos que estava com Lucas no momento do crime, na madrugada da última sexta-feira (10). Para o delegado, Tiago representa uma ameaça à sociedade. João Carlos Machado deve pedir a prisão preventiva do ex-PM, por homicídio doloso e porte ilegal de arma de fogo, até o fim desta semana. "Falta apenas eu formalizar todas as provas que obtive, para finalizar o inquérito e fazer o pedido", afirmou o delegado.

Informalidade

Ao ser expulso da PM, Tiago Rodrigo começou a trabalhar informalmente como vigilante, sem carteira assinada. Durante o serviço a um estabelecimento localizado na Avenida 13 de Maio, na semana passada, ele se deparou com um homem fugindo com um cone de sinalização do local e decidiu atirar.

O disparo atingiu Lucas Gomes na cabeça. O jovem foi levado ao Instituto Doutor José Frota (IJF), mas morreu uma hora depois. No último sábado (11), o ex-policial militar se apresentou ao DHPP, confessou ter efetuado o disparo e revelou a localização da arma utilizada por ele.

Em depoimento, o suspeito afirmou ter gritado para o jovem não levar o cone, enquanto a vítima respondeu "é um assalto". De acordo com a Polícia, Tiago teria atirado duas vezes contra o universitário. O delegado acrescentou que os amigos de Lucas relataram que o jovem era "muito brincalhão" e o furto do cone era uma brincadeira.

Diario do Nordeste
Tecnologia do Blogger.