Header Ads

Header ADS

TV Varjota em Destaque - Ao vivo

Polícia tenta identificar os 11 mortos no confronto durante ataque a bancos em Milagres



As autoridades da Segurança Pública começam a identificar as 11 pessoas que morreram na tentativa de assalto a banco, ocorrida na madrugada desta sexta-feira (7), na cidade de Milagres, na Região do Cariri, Sul do estado (a 497Km de Fortaleza). No confronto entre bandidos e a Polícia, tombaram sem vida seis assaltantes, além de cinco pessoas de uma mesma família, que haviam sido tomadas como reféns e acabaram na linha de fogo entre a PM e os criminosos. O bando era interestadual, com assaltantes do Ceará, Pernambuco e Alagoas.

Um dos mortos foi identificado como sendo o alagoano Mackson Júnior Serafim da Silva, 26 anos, natural do Município de Delmiro Gouveia (AL).

Os criminosos usavam roupas camufladas e balaclavas (capuzes) pretas na hora do ataque. Eles planejaram atacar, simultaneamente, as agências do Banco do Brasil e do Bradesco da cidade, mas foram surpreendidos pela Polícia Militar.

Na troca de tiros que durou cerca de 20 minutos, em pleno centro comercial de Milagres, corpos foram recolhidos depois pela Polícia e levados para o necrotério do hospital municipal Nossa Senhora dos Milagres e, ao amanhecer, recolhidos por dois rabecões do Núcleo da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) sediado em Juazeiro do Norte.

Comoção

Na cidade de Serra Talhada, a segunda mais importante do Sertão de Pernambuco (a 415Km de Recife), o clima é de pesar. A comoção tomou de conta da família, amigos, clientes e fornecedores do empresário João Batista Magalhães, 46 anos, dono das lojas “Magalhães Informática”. Ele e o filho Vinícius, de 14 anos, haviam ido à cidade de Juazeiro do Norte buscar familiares que retornavam, de avião, de São Paulo. Os dois, assim como uma mulher e duas adolescentes acabaram sendo mortas com tiros na cabeça durante o confronto no Centro de Milagres.

Na casa do empresário, situada no bairro Bom Jesus, em Serra Talhada (PE), familiares estão bastante emocionados e aguardam mais informações sobre o caso, enquanto providenciam o traslado dos corpos das cinco vítimas para aquela cidade, onde deverá ser realizado o sepultamento.

Enquanto isso, em Milagres, a movimentação de policiais militares vai diminuindo. Várias patrulhas da PM de cidades vizinhas, que participaram do cerco aos ladrões, já começaram a retornar às suas bases de origem. O foco das atenções se volta agora para o núcleo da Pefoce de Juazeiro, onde já estão sendo examinados pelos legistas e auxiliares os corpos de reféns e bandidos.

Informações Fernando Ribeiro
Tecnologia do Blogger.