Header Ads

Header ADS

TV Varjota em Destaque - Ao vivo

Aluno atira e mata coordenador de escola em Valparaíso de Goiás



O coordenador do Colégio Estadual Céu Azul, Júlio Barroso, foi morto a tiros na tarde desta terça-feira por um adolescente , de 17 anos, que ainda não foi localizado. O crime ocorreu no interior do colégio em Valparaíso de Goiás (GO). Segundo a Polícia Civil, equipes estão na unidade de ensino apurando o ocorrido. Durante a manhã, houve uma discussão entre o autor dos disparos e a vítima, de acordo com as primeiras informações colhidas pelos investigadores.

O serviço de saúde foi acionado, mas o professor morreu ainda na unidade escolar. A Polícia Militar foi acionada e confirmou a ocorrência, mas não passou detalhes dos desdobramentos do fato, informando apenas que o caso será investigado pela Delegacia de Homicídios. Um delegado esteve no local do crime.

O colégio não faz parte da rede de unidades militarizadas de Goiás. O estado tem o maior número de escolas no país com gestão compartilhada com a Polícia Militar: 60 no total, que representam 5,36% da rede pública estadual.

A Secretaria de Educação afirmou, em nota, que enviará a escola de Valparaíso uma equipe multidisciplinar, composta por psicólogo, assistente social e integrantes da Superintendência de Segurança Escolar da pasta. A Seduc disse que o momento é de "tristeza e perplexidade".

O município de Valparaíso fica no Entorno do Distrito Federal. De acordo com as informações, o estudante do ensino médio teria tido uma discussão com um professor e o coordenador disse que iria transferi-lo de escola. Depois, ele retornou ao colégio e disparou contra o educador.

Um homem que pediu para não ser identificado relatou ter ouvido barulhos de tiros, seguido de gritos vindos do interior do Colégio Estadual Céu Azul, por volta das 15h.

— Eu passei (pelo colégio) e o portão de trás estava aberto como sempre, permitindo que qualquer um entrasse por ali. Passei direto com minha filha e em menos de dois minutos depois ouvi gritos e barulhos de tiros. Virei as costas e vi alunos gritando e correndo em minha direção — disse o morador da cidade.

A testemunha contou ainda ter ficado nas proximidades conversando com alguns estudantes, que deixaram a instituição correndo.

— Um aluno relatou que o meliante entrou por esse portão dos fundos. O aluno foi expulso pelo coordenador e o mesmo retornou e atirou quatro vezes nas costas do coordenador identificado como Júnior — acrescentou.

Informações O Globo
Tecnologia do Blogger.