Header Ads

Header ADS

TV Varjota em Destaque - Ao vivo

Traficantes podem ter usado serra elétrica para esquartejar jovens na Zona Norte do Rio



A Polícia Civil trabalha com a hipótese de que dois dos quatro jovens encontrados mortos e esquartejados, nesta segunda-feira na Penha , dentro de um carro, na Zona Norte do Rio, foram capturados por traficantes por serem moradores de uma área próxima ao Morro do Dezoito, que é controlada por uma facção criminosa rival a dos bandidos do Complexo do Alemão, onde o crime ocorreu.

André Luiz da Silva Almeida, de 32 anos, que dirigia o carro omnde estavam os corpos trocou tiros com a policiais militares que tentaram interceptar o veículo. Ferido por um disparo na barriga, ele foi levado para o Hospital Getúlio Vargas, na Penha, e segundo a policia, está em coma induzido.

Já se sabe que duas vítimas teriam sido capturadas na altura Rua Canitá, no Morro do Alemão, quando tentavam desenguiçar um carro.

Os primos e mecânicos Jonathan Gonçalves e Rodrigo Gonçalves, ambos de 26 anos, estavam desaparecidos desde a última segunda-feira. De acordo com o relato de amigos, os dois são moradores de uma região próxima ao Morro do Dezoito, em Quintino, na Zona Norte do Rio. Nesta segunda-feira, os dois teriam ido até a Rua Canitá para buscar o carro de Jonatan, que havia enguiçado, no sábado passado, quando ele foi a um baile funk.

Para ir até o local, a dupla usou a motocicleta de Rodrigo. Ainda não se sabe quantos bandidos participaram da captura dos rapazes. Até a tarde desta terça-feira, a moto e o carro de Jonathan ainda não haviam sido localizados pela polícia.

Agentes da Delegacia de Homicídios (DH) da Capital, que investigam o caso, tentam ainda identificar quem são os outros dois homens que foram esquartejados ao lado de Jonathan e Rodrigo. De acordo com um dos policiais que participou da perícia do local onde os quatro rapazes foram esquartejados, há indícios de que todos foram torturados antes de serem executados.

— Encontramos vestígios de tortura como marcas de pancadas na cabeça e no corpo. Tudo indica que os corpos foram esquartejados após a execução. Os cortes nos cadáveres são semelhantes aos feitos por facas de açougue ou por algum tipo de serra como a elétrica, por exemplo. Apuramos que um amigo do Jonathan também foi convidado por ele para ir desenguiçar o veículo, mas acabou desistindo. Então, o Rodrigo acabou indo no lugar dele — disse o policial.

Parentes dos jovens estiveram no Instituto Médico Legal na manhã desta terça-feira, e evitaram falar com os jornalistas. Eles também confirmaram que os jovens não conheciam as outras vitimas.

— Não sabemos o que aconteceu. Também não conheço os outros dois rapazes que morreram ao lado dos dois primos — disse um parente dos jovens que pediu para não ser identificado.

Segundo os parentes, Jonathan ia ser pai. A esposa está com três meses de gravidez.

Os quatro corpos foram encontrados dentro de um veículo na Rua Honório Bicalho, na Penha, depois que a PM suspeitou do motorista que dirigia o carro.

Na abordagem, André Luiz da Silva Almeida tentou fugir e houve perseguição da Rua Nicarágua até a Honório Bicalho. Na troca de tiros, o motorista foi baleado. Ele foi autuado em flagrante por crime de ocultação de cadáver e está internado sob custódia da polícia.

Informações Jornal extra
Tecnologia do Blogger.