Header Ads

Header ADS

RÁDIO VARJOTA - AO VIVO NA TV

PF pede que acusado de matar ‘Gegê’ e ‘Paca’, detido em SP, não seja enviado para presídio no Ceará



André Luís da Costa Lopes, de 41 anos, conhecido como 'Andrezinho da Baixada', pode ser enviado a um presídio federal de Segurança Máxima. O pedido foi feito pela Superintendência da Polícia Federal no Ceará ao Poder Judiciário do Ceará, no último dia 1º de novembro, um dia após a prisão de André em um condomínio de luxo na Praia Grande, no litoral de São Paulo.
'Andrezinho da Baixada' é acusado de participar diretamente dos assassinatos de Rogério Jeremias de Simone, o 'Gegê do Mangue', e Fabiano Alves de Souza, o 'Paca', em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza, em fevereiro do ano passado. Os dois eram considerados líderes de uma organização criminosa.

André já tinha um mandado de prisão preventiva expedido pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Aquiraz, após investigação da Polícia Civil cearense, que apontou sua autoria junto a outros criminosos também denunciados pelos dois homicídios. Procurada pelo G1, a defesa não atendeu aos telefonemas e nem respondeu às mensagens enviadas.

A Polícia Federal indica que o investigado “faria parte da ‘alta hierarquia’/cúpula da facção” e, por isso, “seria imprescindível” sua inclusão em presídio federal de Segurança Máxima, considerando “o risco contra sua vida”, “a grave fragilidade do Sistema Penitenciário Estadual” e a impossibilidade de mantê-lo nas penitenciárias cearenses “sem pôr em risco a ordem e a Segurança Pública”.

Em nota, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) declarou que prefere não comentar esse tipo de transferência “por questões estratégicas de segurança”.

De acordo com o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), 'Andrezinho da Baixada' era um dos homens presentes no local do crime, em um helicóptero da organização criminosa, e que executaram a dupla a tiros, em uma aldeia indígena. Ele foi acusado por homicídio qualificado e organização criminosa.

Liberação

Há um ano, André se apresentou espontaneamente no 2º Distrito Policial do Guarujá e prestou depoimento negando participação nos assassinatos de Gegê e Paca. Mas, como era véspera de eleições, ninguém podia ser preso, exceto em situação de flagrante ou condenação pela Justiça.
Após o depoimento, ‘Andrezinho’ desapareceu. No entanto, no fim de outubro, os agentes montaram guarda em conseguiram prendê-lo quando ele entrava no prédio de luxo. Ele não reagiu e também não estava armado.

Informações G1
Tecnologia do Blogger.