Header Ads

Header ADS

Ex-sargento condenado por matar empresário a mando de iraniano é morto em Fortaleza




Dois homens perseguiram e mataram a tiros o ex-sargento da Polícia Militar do Ceará (PMCE), Jean Charles da Silva Libório, de 45, na tarde desta terça-feira (9), na rua Padre Arimatéia, na Vila Manoel Sátiro. A vítima, que tem antecedentes criminais por homicídio, associação criminosa e receptação, foi condenado em 2017 pela morte do empresário Francisco Francélio Holanda Filho. Na época, o crime teria sido encomendado pelo empresário iraniano Farhad Marvizi, que atualmente está cumprindo pena em um presídio federal de Mato Grosso do Sul.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), equipes do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e da Polícia Militar estiveram no local e fizeram os primeiros levantamentos sobre o assassinato do ex-PM.

Testemunhas afirmam que Libório estava conduzindo um veículo de cor branca, sem placas, quando percebeu que estava sendo seguido por dois homens em um carro. Ele desceu do veículo e saiu correndo na rua para tentar fugir, mas foi atingido pelos disparos e morreu no local.

Em regime semiaberto desde setembro de 2019, o ex-sargento havia informado à Justiça que atualmente estava trabalhando com venda e aluguéis de carro. Ele foi expulso da corporação em 2011, mediante processo disciplinar.

Julgamento

Jean Charles da Silva Libório foi condenado a 14 anos de prisão em regime fechado pela morte do empresário Francisco Francélio de Holanda Filho. O julgamento aconteceu no dia 26 de maio de 2017.

Conforme a decisão proferida pelo juiz Henrique Jorge Holanda Silveira, da 2ª Vara do Júri de Fortaleza, o réu responderá por homicídio duplamente qualificado, com motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Na ocasião, a defesa de Libório chegou a dizer que iria recorrer da decisão, mas ele permaneceu em reclusão até o julgamento do recurso.

O ex-PM foi preso em 2010 e cumpriu parte da pena numa penitenciária no Mato Grosso do Sul, enquando aguardava julgamento. Depois ele foi transferido para a Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL II), em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza.

Morte do empresário

O empresário Francisco Francélio foi morto no dia 8 de julho de 2010, quando sua caminhonete foi interceptada por dois homens de moto, entre eles Libório, no bairro Aldeota, em Fortaleza. Francisco foi atingido por vários tiros e morreu no local.

O mandante do crime foi o empresário iraniano Farhad Marvizi, proprietário de uma loja de produtos eletrônicos que estaria importando mercadorias de forma ilegal, conseguindo aplicar preços inferiores aos da concorrência. A vítima atuava no mesmo ramo e, por isso, havia denunciado o iraniano a um auditor da Receita Federal, o que teria motivado o crime.

Marvizi foi preso por comandar uma organização criminosa envolvida em assassinatos, contrabandos, sonegação de impostos e falsificação de documentos em Fortaleza. Ele foi condenado a 20 anos de prisão pela Justiça Federal, por tentativa de assassinato contra um auditor-fiscal.

Fonte: Diário do Nordeste

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.