ULTIMAS NOTÍCIAS

0
Um estudante foi torturado com um canivete quente por um colega, menor de idade, dentro do banheiro de uma escola, na cidade de Morro do Pilar, região central de Minas Gerais.

As sessões de tortura foram gravadas em um vídeo que mostra o agressor e vítima, que têm 14 anos. Nas imagens é possível ver que o agressor usa um canivete para ferir o braço do garoto quatro vezes seguidas.  Ele aquece a lâmina com um isqueiro e continua a agressão.

Em seguida, ele chuta a vítima e volta a fazer os cortes no braço. Momentos depois, ele manda o adolescente se deitar no chão. O estudante argumenta e a tortura continua no braço, em meio a ameaças.— Se você falar com a polícia, eu juro que eu te mato.

Uma semana depois, as marcas ainda estão no braço e na memória do adolescente. A agressão aconteceu no banheiro da quadra esportiva da Escola Estadual Intendente Câmara. O garoto explica que à tarde, depois da aula, voltou ao colégio para jogar bola, acompanhado de um amigo. E o menor agressor, que não é aluno do colégio, estava lá.
— Todo mundo da comunidade usa a quadra para ficar jogando. [As pessoas] tinha livre acesso. Podiam ir a hora que quiser.

O pai da vítima explica que o menor é conhecido por se meter em confusões na cidade e foi para o local com a intenção de incomodar.
— Ele estava andando em cima do telhado da escola, jogando abacate podre e mamona lá embaixo, em uma reunião que acontecia com os pais dos alunos.
De acordo com a vítima, a agressão teria acontecido porque o menor achou que o adolescente foi quem o dedurou para os professores.
— Depois ele pegou o meu filho na quadra e intimou ele no canto do banheiro.

A Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais informou que a agressão aconteceu fora do horário de aula e que a quadra é um dos únicos equipamentos esportivos da cidade. Por causa disso, ela fica aberta para o uso da comunidade. A direção da escola disse que prestou apoio à família do aluno agredido e que o agressor não estuda na instituição. Assim, o caso está sob responsabilidade da polícia.

Procurada, Polícia Civil informou que o menor não foi apreendido e está sob tutela do Conselho Tutelar da cidade. Ele será ouvido na delegacia, acompanhado por uma conselheira. O pai da vítima disse que ao saber da agressão, tirou o filho da cidade. O garoto foi levado para a casa de parentes em Belo Horizonte, onde já começou a ser tratado por um psicólogo, mas eles não tem condições de manter o tratamento.O adolescente sabe que precisa voltar para a escola para não perder as provas finais, mas tem medo.— Eu estou com medo de voltar para a escola e ele me encontrar e fazer alguma coisa pior.

Fonte:R7